Oficinas do Canto 2016 deixam legado de musicalidade para as crianças de Pirenópolis

Déborah Gouthier

O Canto da Primavera 2016 começou nesta quinta-feira, dia 20, na cidade de Pirenópolis. Dentro da programação do festival, além dos já tradicionais shows e oficinas musicais, essa 17ª edição inovou trazendo oficinas dedicadas a um público especial: as crianças. Serão quatro oficinas exclusivas para o público infantil, sendo duas nesse primeiro fim de semana e outras duas no segundo, envolvendo as crianças da cidade em atividades lúdicas que despertam para a música e a expressividade.

img_8499

Nesse primeiro fim de semana, a oficina Cantinho Sonoro, conduzida pelos músicos e educadores Isabella Rovo e Victor Batista, despertou ritmo e melodia nas crianças do quinto ano da Escola Municipal Dom Emmanoel Gomes. Cerca de 50 meninos e meninas passaram pelo Coepi (Comunidade Educacional de Pirenópolis) e, divididos em duas turmas, aprenderam mais sobre as sonoridades presentes no nosso cotidiano e transformadas em música.

img_8495

“Tem gente que acha que não tem ritmo, mas o primeiro ritmo da gente é o nosso coração”, iniciou a professora. Os oficineiros também trabalharam alguns instrumentos musicais e a relação da música com a cidade, como um patrimônio cultural de Pirenópolis. Já na Escola Municipal Luciano da Silva Peixoto, o Circo Bambulengo divertiu a criançada com a oficina de Comicidade Musical.

img_8494

Os palhaços-oficineiros Maçaroca, Mulambo e Canelinha levaram as crianças ao delírio com seu número circense, e também despertaram criatividade, interação, confiança e inúmeras sonoridades, por meio da mímica, dos sons e de muita brincadeira. As oficinas continuam na sexta-feira, recebendo outras crianças destas e de outras duas escolas da cidade. Já no sábado, as atividades serão abertas a toda a comunidade e público em geral do Canto 2016.

img_8493

A oficineira Isabella Rovo conta que a inserção das crianças na programação do Canto foi uma reivindicação da própria população, como uma forma de que o festival fique na cidade que o recebe há tantos anos e de incentivar a educação musical desde a infância. Diogo Machado, que dá vida ao Palhaço Massaroca, também elogiou a iniciativa, argumentando que a integração do circo e da música, como está sendo trabalhado pelo Canto 2016, permite o diálogo com crianças de várias idades, encorajando-as a explorar suas emoções e aprender mais, através da arte.


Compartilhe!