“Canto da Primavera é fundamental para combater a resistência cultural no Brasil”, diz Lenine

Lucas Cássio

Uma das atrações da primeira noite do Canto da Primavera 2016, que ocorreu na noite desta quinta-feira (20/10), foi a apresentação da Banda Pife Muderno, comandada por Carlos Malta, com participação do cantor Lenine.

img_8522

Momentos antes do show, os músicos concederam entrevista coletiva à imprensa e ressaltaram a importância do festival. Para Lenine, o Canto da Primavera é fundamental para ajudar a combater a resistência cultural que existe no Brasil.

img_8539

“Acho que existe um grande embate cultural no Brasil há muitos anos. A gente conhece pouco das expressões culturais brasileiras e festivais como esse, que traz para o centro expressões que não são litorâneas, são essenciais”, disse Lenine ao se referir à grade de programação do evento, que inclui show nacionais, internacional e 30 apresentações goianas, além de oficinas. “A gente toca, mas também é tocado”, afirmou Lenine ao falar da qualidade dos espetáculos regionais.

img_8532

Atividades paralelas no festival, as oficinas, que contemplam a programação do evento, também foram elogiadas durante a coletiva. Para Carlos Malta, que também é educador, esse tipo de ação é um dos maiores legados que o evento pode deixar para a cidade.

img_8531

“Um festival que abre as portas para essa atividade didática ganha porque a música fica. O show vem e vai embora, mas a oficina deixa a música ficar na cidade. As pessoas aprendem, evoluem e no ano seguinte estão aqui para ensinar”, ressaltou. “A beleza da oficina é isso. É deixar plantado essa ideia”, completou.

img_8526


Compartilhe!