Carlos Malta e Pife Muderno convidam Lenine

Pife Muderno, liderado pelo animadíssimo flautista Carlos Malta, convida Lenine para uma apresentação conjunta exclusiva.

O grupo faz um som que mistura influências do jazz, rock e MPB, com ênfase no timbre intenso dos pífanos – uma adaptação indígena para as flautas europeias.

Cello Samba Trio (RJ)

Samba, de suas raízes até os dias de hoje. Cello Samba Trio traz releituras de composições de Noel Rosa, Ary Barroso, Dorival Caymmi, Antonio Carlos Jobim e João Gilberto, assim como trabalhos de uma nova geração de compositores, como Luisão Paiva e Carlinhos Brown, além de composições originais. Morelenbaum, com seu Cello Samba Trio, toca acompanhado do violonista Lula Galvão e do percussionista Rafael Barata

Babel Orkesta (ARG)

Cinco músicos e três atores. Babel Orkesta vem diretamente da Argentina para o Canto, combinando diferentes ritmos do mundo: ta tarantela ao swing, aliando música e teatro em uma sonoridade única. Um presente multicultural para a cidade de Pirenópolis.

Moda de Rock (SP)

Versões instrumentais de clássicos do rock adaptados para a viola caipira. A dupla homenageia artistas como Black Sabath, Metallica, Iron Maiden, Pink Floyd e Sepultura. O segundo CD, Moda de Rock II, recebeu o prêmio ProAC da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo para a produção do disco e circulação pelo estado.

Desumanos

A banda “Desumanos” formada por Manoel Cordeiro, Kassin, Stéphane San Juan, Felipe Cordeiro e Liminha, faz um som instrumental dançante e híbrido, fundindo Guitarrada, Afro-pop, Ska, Carimbó, Cumbia e Rock num som cru e direto. O grupo tem referências como Poly e The Ventures.

A banda já se apresentou nos festivais Se Rasgum (Belém 2013) e Rec Beat (Recife 2014), além de apresentação no Boulevard Olímpico durante as Olímpiadas do Rio (2016), tirando elogios vigorosos da crítica e marcando o público. Atualmente finaliza o seu primeiro álbum e vídeo documentário, gravados no estúdio Nas Nuvens (RJ).

Moraes Moreira e Davi Moraes

Moraes Moreira, um dos líderes do inovador grupo Novos Baianos em parceria com Davi Moraes. Pai e filho em um encontro de gerações, com o show baseado no álbum 'Nossa parceria'.

Dona Onete (PA) convida Otto (PA)

Diretamente do Pará, Onete da Silveira Gama, carinhosamente conhecida como Dona Onete, essa senhora de 76 anos, é considerada a musa da nova geração da música paraense. Ela inventou o "carimbó chamegado”, que segundo ela tem o balanço do carimbó, mas “com um toque de pimenta”.
No palco, a convite de Onete, ninguém menos que Otto.

Academia da Berlinda (PE)

De uma banda original, que tocava um “brega de raiz” em versões criativas e inovadoras a grandes canções autorais, cheias de latinidade e afrobeat. Um rico experimento musical para curtir a solo ou acompanhado.

Marcelo Yuka (RJ)

Fundador do grupo O Rappa, Marcelo Yuka foi baterista e principal letrista da banda. Considerado um grande compositor e um dos artistas mais engajados de seu tempo. Uma oportunidade imperdível que o Canto 2016 traz para Goiás.

Bongar

O Bongar é composto por seis jovens integrantes do terreiro Xambá, do Quilombo do Portão do Gelo, em Olinda. Tem como propósito levar aos palcos a tradicional Festa do Coco da Xambá, realizada na comunidade há mais de 40 anos. O Bongar tem um trabalho voltado para a preservação e divulgação da cultura pernambucana e a formação musical de seus integrantes tem origem no universo popular, especificamente da comunidade religiosa Xambá. Sua forte musicalidade, advinda de diversas influências musicais vivenciadas nos cultos afro-brasileiros, principalmente da linhagem Xambá, é herança deixada desde a infância aos integrantes do Bongar. Os mais velhos ensinaram os toques, as loas e as danças durante as festas da Casa Xambá.

Patocan

Patocan é um projeto instrumental do percussionista Sergio Pato e do guitarrista e produtor Turco Can Kanbay. O projeto teve início quando os músicos se conheceram em Paris no início dos anos 90. Fusões de estilos diferentes com uma linguagem jazzística, proporcionam ao público uma viagem pelo mundo.

Projeto Supernova

O Projeto Supernova é uma banda de indie rock formada em 2005 pelos amigos Domis Wagner, Rafael Monteiro, Paulo Roberto e Ricardo Lima. Com o primeiro single, Tudo se vai, lançado em 2013, a banda deslanchou. Em 2014, o grupo lançou o primeiro EP, que com seis canções inéditas, aposta em uma sonoridade dançante e pra cima.

Barok Projekto

Em 2015 eles lançaram o primeiro disco de heavy metal na língua esperanto. Em 2016, gravaram o segundo álbum, na França, venceram concursos internacionais e agora chegam ao Canto da Primavera com um trabalho autêntico, que une a mitologia indígena brasileira com canções pesadas e performance surpreendente. A mistura do Barok Projekto é formada por Muniz e Rafael Milhomem nas guitarras, Karliene Araújo no vocal, Junior Nieri na bateria e Thiago Alberto no baixo.

Acorde 7 Blues Band

Os acordes de sétima das melodias de Blues que tomaram conta dos EUA no início do século XX são a base para o nome e a essência dessa banda goiana. Com apresentações que aliam os clássicos da história do ritmo e composições autorais que atualizam e modernizam o Blues, a Acorde7 Blues Band traz para Pirenópolis a prévia do álbum Take the Road, previsto para ser lançado no ano que vem – já com a aprovação do público que os acompanha em shows pelas principais casas de Goiânia.

Boogarins

Benke Ferraz, Dinho Almeida, Raphael Vaz e Ynaiã Benthroldo formam o Boogarins, a banda goiana que concorre ao Grammy Latino de 2016 com o disco Manual. O álbum é o segundo da banda, formada em 2012, que conquistou a gravadora americana Other Records com seu rock psicodélico e intenso e, a partir daí, não parou mais: se apresentaram no Lollapalooza em São Paulo, no Primavera Sound em Barcelona, no South by Southwest no Texas e no Rock in Rio Lisboa. Para o Canto 2016, eles trazem seu caleidoscópio musical impactante e anti qualquer clichê.

Grace Venturini

Com 25 anos de carreira, Grace Venturini tem três CDs e um DVD gravados. A cantora, natural de Alexânia (GO), começou a cantar profissionalmente aos 13 anos e ao longo da carreira acompanhou vários artistas goianos como back vocal. O repertório da cantora conta com influência de diversas vertentes musicais, do pop ao samba, além de releituras de músicas de Luiz Gonzaga, Chico Buarque e Lulu Santos.

Ingrid Lobo

Com 18 anos de carreira, Ingrid Lobo iniciou sua atuação no cenário musical com 7 anos de idade. Participou de diversos festivais musicais, programas de televisão, além de apresentações por todo interior de Goiás. Em 2015 lançou um EP que leva o nome de uma de suas músicas, a Soaria Bem. O trabalho conta com influências da música experimental, do jazz, do rock'n roll e da música popular brasileira. Canções de artistas consagrados como Chico Buarque e Guinga, também fazem parte do repertório.

Quinta Suspensa

O grupo, formado por Giovanna Dias no vocal, Rayssa Almeida, Rayssa Ruana, Ana Carolina, Amanda Dias e Jean Ramos nos instrumentos, nasceu há quatro anos. Os músicos trazem nas letras um pouco do cotidiano de Goiânia e nos arranjos uma mistura do regionalismo com os ritmos da música popular brasileira.

Vertize

A Vértize é uma banda pop goiana que mescla músicas de várias décadas com sucessos atuais. O grupo é formado por Ton na guitarra, Maithan Mayer e Gabriela Matos no vocal, Luiz Medeiros nos teclados, Clério Murbach no bass, e Pequeno Sueden na bateria. As influências variam do pop brasileiro e mundial e vão do rock, eletrônico, soul e black music, trazendo também elementos do MPB, funk e dance na criação do seu som.

Banda Phoenix

Foi criada em 23 de julho de 1893 pelo maestro Joaquim Propicio de Pina. Atualmente a banda ensaia na Rua Nova, museu da Família Pompeu. A banda tem fundamental participação no cotidiano da cidade, incluindo os principais eventos religiosos e folclóricos.

Otávio Soares Brandão

O compositor Otávio Henrique Soares Brandão é conhecido nacional e internacionalmente por ser o criador do novo estilo de piano. Laureado em 2007 com o prestigiado prêmio Qwartz d'Honneur, atribuído pela prefeitura de Paris e pelo Ministério da Cultura e Comunicação da França aos músicos e grupos que contribuem para a renovação musical (Pierre Henri, Björk, Henri Pousseur, Francis Dhomont, Laurie Anderson,etc).

Diones Correntino

Diones é um músico que reúne diferentes experiências musicais e atua como pianista, compositor e arranjador. Como instrumentista procura direcionar sua performance para diferentes campos de atuação, explorando interpretação, composição e improvisação. Apresentou seus trabalhos em festivais e teatros como a série instrumental Guiomar Novaes promovida pela Sala Cecília Meireles, Goyaz Festival e o Festival de Música Brasileira da North Texas University.
Em 2015 lançou o disco Diones Correntino Quarteto-Som Mestiço, com composições e arranjos que visitam os mundos da música popular, música clássica e o jazz. O álbum recebeu destaque entre os 30 melhores Cds do ano de 2015, no gênero música instrumental, segundo o crítico musical Carlos Calado, jornalista do jornal Folha de São Paulo.

Duo Martins Botelho

Os professores da UFG Martha Martins e Marcos Botelho dão vida à música do duo de piano e trombone Martins-Botelho. Com o intuito de divulgar e pesquisar a música brasileira, eles têm resgatado canções de compositores goianos, principalmente da primeira metade do século XX, por meio de arranjos e releituras cheios de emoção. O repertório também inclui modinhas, valsas, maxixe, frevo e outros ritmos, com peças de autores consagrados como Chiquinha Gonzaga e Edmundo Villani Cortes.

Impact(o) Grupo de Percussão

Impact(o) é um grupo de percussão sediado em Goiânia que vem apresentando projetos artísticos e de cunho didático, incorporando em seu trabalho uma multidisciplinaridade artística que envolve novas tecnologias, artes do corpo, arte experimental e outras manifestações culturais. Seus integrantes possuem formação musical no Brasil contando com Especialização, Mestrado e/ou Doutorado em Performance Musical empaíses como Estados Unidos, França, Holanda e Brasil.

André Mols e Banda

Professor e Mestre em Estudos Literários, André Mols é também um dos fundadores da The Not Yet Famous Blues Band (TNY), a primeira banda de blues rock do Centro Oeste do Brasil – que comemora seus 25 anos em 2016. Acompanhado de uma banda de alta qualidade, ele traz neste primeiro trabalho solo algumas das melodias e canções que marcaram sua vida e gosto musical, com grandes artistas como Marvin Gaye, Bill Withers e Cartola, além de músicas inéditas e de sua autoria.

Amauri Garcia

São 30 anos de carreira musical e de uma rica parceria de amizade e talento com Luiz Augusto, que marcam e ajudam a contar a história da música goiana. Para o Canto 2016, o cantor e compositor Amauri Garcia traz o seu Meios Tons, Sons Inteiros, show de seu disco homônimo, de músicas autorais e inéditas como Estilhaço, Por Inteiro e Jeito Goiano. A direção musical é de Luiz Chaffin, com a participação especial do parceiro Luiz Augusto.

Fred Valle

Baterista profissional desde 1993 e produtor musical, Fred Valle tem uma longa carreira dedicada à música. Além de premiações e destaques entre os melhores instrumentistas do país, ele já participou da gravação de vários discos e DVDs e tocou em mais de 20 países. Desde 2005 ele participa do trio O Cerrado, de música instrumental, e em 2015 lançou seu primeiro disco solo Do Café à Cachaça. Para esse ano, ele prepara três novos discos instrumentais e um show marcante para o Canto 2016.

Ricardo Pina Quinteto

O baterista e compositor Ricardo de Pina iniciou sua carreira em 1999. Acompanhando vários artistas do cenário regional e nacional, tem em seu currículo participação em vários discos, DVDs, festivais e turnês pelo Brasil e América Latina. Seu repertório conta com interpretações de grandes compositores como Tom Jobim, Edu Lobo, Milton Nascimento, Yellowjackets, além de composições autorais.

Gilberto Correia

Gilberto Correia e a banda Flor da Pele – composta por alguns dos principais instrumentistas de Goiás -, trazem ao Canto da Primavera 2016 a turnê do disco Do Amor e Da Liberdade, lançado recentemente em CD e DVD. O álbum é um verdadeiro passeio pela música goiana, com canções do cantor, violonista e compositor Gilberto Correia, que lançou seu primeiro disco em 1988, mas também de parceiros como Du Oliveira, Carlos Brandão, Nilton Rabello e Valter Mustafé.

Tom Chris

Cantor e compositor, Tom Chris representa com responsabilidade e competência a música brasileira, é um músico jovem e talentoso. Aos sete anos demonstrava inclinação pela música quando iniciou piano clássico, participou de vários festivais interpretando canções da MPB, sendo premiado em vários deles. Gravou cinco CDs solos e um DVD. O último trabalho do cantor intitulado “Quando Quiser Me Ouvir” foi lançado em agosto de 2015.

Moka Nascimento

Considerado o “pai do rock goiano”, Moka Nascimento é uma figura importante para a história da música em Goiás. Ao longo de sua trajetória, o artista integrou os melhores conjuntos de baile e bandas de rock do estado nas décadas de 1970 e 1980. Lançou e relançou discos de música instrumental e, com vozes, passou pelo rock progressivo, afro-cubano, salsa, jazz, baião e funk. Entre os principais grupos musicais de que fez parte estão Akuarius Seven, Hippies cordas e metais, Tarântulas, Os Matuskelas (DF), Os Gorilas (MG) e Vide Bula.

Dênio de Paula e Thatband

Pai, filho e uma parceria musical que vem de berço. A Thatband é um projeto do guitarrista e produtor musical Dênio de Paula com seu filho Daniel de Paula, também guitarrista e compositor. Juntos, eles apresentam o show do disco Mais que a dor, que reúne influências que vão de Robert Fripp a Lampião, aproximando o rock e o sertão, microfonias e suaves melodias, estranheza e emoção, em canções que são como poesia cortando como navalha.

Adalto Bento Leal

Cantor, compositor, instrumentista e arranjador, Adalto Bento Leal formou por mais de vinte anos a dupla Wanda & Adalto, que fez história na música goiana. No fim da década de 1990, ele iniciou a carreira solo, trazendo para suas canções as alegrias e aspirações do povo brasileiro e latino americano, por meio de ritmos como baião, tango, rock e xote. No Canto 2016, ele apresenta alguns dos sucessos dos 35 anos de estrada musical acompanhado de um quarteto de cordas.

Quarteto Pixinga

Formado em 2011 o Quarteto Pixinga é um grupo que tem como proposta a pesquisa, a performance e a divulgação do choro e outros gêneros musicais afins, tais como a polca, maxixe e o choro sambado. Integrado por Leandro Gomes, Júlio Lemos, José de Geus e Henry, o grupo realiza releituras de obras de compositores como Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga, Jacob do Bandolim, Henrique Alves de Mesquita e Pixinguinha.

Duo Everson Bastos e Foka

O pianista Everson Bastos e o saxofonista Foka (Antônio Alves) apresentam no Canto 2016 o duo formado em 2012, tendo como base a interpretação de vários gêneros da música brasileira, com composições autorais e obras já consagradas. As performances do duo vêm chamando atenção pela criatividade e versatilidade dos arranjos e das composições, marcadas pela larga experiência de ambos os músicos, que também integram a Banda Pequi.

Brasil Brejeiro

Um violeiro mineiro e um rabequeiro cearense encontraram em Goiás a casa para seus estudos de cultura popular e arranjos poéticos e elaborados que se apresentam entre o cancioneiro popular e o erudito. Jeferson Leite e Victor Batista são os instrumentistas por trás de Brasil Brejeiro, que apresenta no Canto 2016 interpretações ao mesmo tempo tradicionais e inovadoras de canções de Dominguinhos a Beatles, de Tião Carreiro a Ernesto Nazaré.

Com a corda Toda

Com a Corda Toda é o resultado de anos de amizade e parceria musical entre Pedro Braga e Luiz Chaffin. Juntos, os já conhecidos músicos goianos desenvolveram uma forma peculiar de arranjo para dois violões, cheia de entrosamento musical. No Canto 2016, eles apresentam parte do repertório desse projeto, que já originou três álbuns de músicas próprias e de outros compositores, cuidadosamente trabalhadas pelos instrumentos de corda em arranjos ousados e repletos de originalidade.

Quarteto Guerra-Peixe de Goiás

O Quarteto Guerra-Peixe é composto pelos músicos Alessandro Borgomanero no violino, Marcos Silveira no violino, Luciano Pontes na viola e David Gardner no violoncelo. Alessandro nasceu em Roma,formou-se com o título de Mestre em 1992, na Universidade de Música Mozarteum, de Salzburg, na classe do violinista Ruggiero Ricci. Marcos e Luciano são formados em Música com habilitação em violino na EMAC-UFG. Já David formou-se em Londres, na Trinty College of Music, com Richard Markson e Maude Tortelier, com honras de primeira classe e medalha de ouro.

Grupo Tresenhum

O trio de música instrumental foi criado em 2014. É formado por Gennyson Ponce nos teclados, Moisés Feitosa no contrabaixo e Ricardo de Pina na bateria. Gennyson é compositor, produtor, arranjador e tecladista, iniciou seus estudos de piano aos 7 anos. Nascido em Pirenópolis, Ricardo de Pina é baterista e compositor. Iniciou seus estudos aos 11 anos e desenvolveu seu estudo praticamente como autodidata. Moisés começou seus estudos na Escola de Música de Brasília como trompetista em 1985.Logo após, descobriu sua paixão pelo contrabaixo acústico ingressando na classe do professor Ricardo Vasconcelos na mesma escola, onde teve sua iniciação no instrumento.

Chico Aafa e Felipe Valoz

Cantor e compositor, Chico Aafa nasceu em Teresina (PI), mas veio para Goiás ainda criança. Foi também aqui que começou sua carreira artística, ainda na década de 1970. Desde então, participou de festivais e programas musicais por todo o país. Em 2004, ele se reuniu com o professor e violonista Felipe Valoz no álbum Cantada, com repertório composto por músicas do compositor baiano Elomar. A homenagem chega agora ao Canto 2016, com as canções que falam sobre os costumes regionais e a natureza.

Felipe França (SP), Hernan Hallak (MundoGiras)(ARG) e Paula Rocha (Aroeira Expressões Artísticas) em parceria MMF LATAM

Local: Teatro Sebastião Pompeu de Pina

Horários: 10h00

Marcelo Yuka

Local: Teatro Sebastião Pompeu de Pina

Horários: 11h00

Dona Onete (PA) e Geraldinho Magalhães (RJ)

Local: Teatro Sebastião Pompeu de Pina

Horários: 10h00

Liminha (RJ) e Kassim (RJ)

Local: Teatro Sebastião Pompeu de Pina

Horários: 11h00

Baixo: Ney Conceição (RJ)

Dias: Quinta 20/10 à Sexta 21/10

Quinta: 14h as 18h
Sexta: 08h as 12h e 14h as 18h

Local: Escola Estadual Comendador José Alves de Oliveira.

Guitarra: Faíska (SP)

Dias: Quinta 20/10 à Sábado 22/10

Local: Escola Estadual Comendador José Alves de Oliveira

Horário: 14h as 18h

Bateria: Robertinho Silva (RJ)

Dias: Quinta 20/10 à Sábado 22/10

Local: Escola Estadual Comendador José Alves de Oliveira

Horário: 14h as 18h

Oficina infantil: Cantinho Sonoro com Isabella Rovo e Victor Batista (GO)

Dias: Quinta 20/10 à Sábado 22/10

Local: COEPI

Horário: 14h as 18h

Oficina infantil: Comicidade Musical com Circo Bambulengo (GO)

Dias: Quinta 20/10 à Sábado 22/10

Local: Escola Municipal Luciano da Silva Peixoto

Horário: 14h as 18h

Percussão: Éder “O” Rocha (PE)

Dias: Quinta 27/10 à Sábado 29/10

Local: Escola Estadual Comendador José Alves de Oliveira

Horário: 14h as 18h

Viola caipira: Zé Helder e Ricardo Vignini (MG/SP)

Dias: Quinta 27/10 à Sábado 29/10

Local: Escola Estadual Comendador José Alves de Oliveira

Horário: 14h as 18h

Violão Popular Brasileiro: Rogério Caetano (DF)

Dias: Quinta 27/10 à Sábado 29/10

Local: Escola Estadual Comendador José Alves de Oliveira

Horário: 14h as 18h

Oficina infantil: Lixo Ritmado com Vida Seca (GO)

Dias: Quinta 27/10 à Sábado 29/10

Local: COEPI

Horário: 14h as 18h

Oficina infantil: Bumba Meu Boi com Noel Carvalho (GO)

Dias: Quinta 27/10 à Sábado 29/10

Local: Guaimbê

Horário: 14h as 18h