10 passeios para curtir entre uma atividade e outra da programação do Canto 2016

Lucas Cássio

Com cerca de 40 espetáculos, rodas de conversa e oficinas, a 17ª edição do Canto da Primavera está sendo realizada na belíssima cidade histórica de Pirenópolis (GO). A cidade conta com uma cultura riquíssima, casarões coloniais e igrejas. São locais que que podem ser visitados nos intervalos entre uma atividade e outra da programação do Canto 2016.

20161020_canto2016_0044

Os passeios listados por nossa equipe vão te ajudar a conhecer um pouco mais da história da cidade e do Estado. Confira algumas das opções:

Igreja Matriz – Construída entre 1728 e 1732, foi totalmente restaurada depois de um incêndio em 2002. É considerada uma das maiores construções de taipa de pilão do Centro Oeste, além de ser a mais tradicional igreja católica de Goiás dedicada a Nossa Senhora do Rosário, padroeira dos pirenopolinos.

Igreja do Bonfim – Construída entre 1750 e 1754 por inciativa do Sargento-Mor Antônio José dos Campos, é uma igreja tipicamente colonial portuguesa. Com duas torres sineiras laterais, a Igreja do Bonfim chama a atenção por suas dimensões e pela posição de destaque na elevação onde foi instalada, além de possuir uma belíssima imagem do Senhor do Bonfim em tamanho natural.

Igreja do Carmo – É um dos marcos da fundação da cidade e foi construída entre 1750 e 1754, próximo às margens do Rio das Almas. Foi o terceiro prédio religioso construído em Pirenópolis. O edifício abriga atualmente, além da igreja, um museu de arte sacra. Sua fachada compacta e de volumetria incomum da arquitetura colonial brasileira, esconde a decoração barroca-rococó dos altares do interior, com rica talha com uma delicada interpretação do rococó, especialmente nos altares do cruzeiro e na capela-mor.

Casa de Câmara e Cadeia Museu do Divino – A Casa de Câmara e Cadeia de Pirenópolis foi a primeira cadeia do estado de Goiás. Construída em 1733 no Largo da Matriz da cidade, a casa histórica foi demolida em 1919, construindo-se uma réplica no Largo da Ponte Velha. O Museu do Divino foi inaugurado em 2009 em alusão às comemorações pelo 282º aniversário da fundação da cidade. O museu abriga peças relativas à Festa do Divino de Pirenópolis.

Teatro de Pirenópolis – Construído no final do século XIX e início do século XX, é um dos mais importantes teatros do Brasil. Leva o nome de Sebastião Pompeu de Pina, que começou a construção do prédio com ajuda de donativos vindos de conterrâneos, com a venda de roupas, alimentos e animais, leiloado em praça pública.

Cine Pireneus – Foi construído em 1929, pelo padre Santiago Uchôa, em estilo neoclássico. Em 1936 sofreu uma reforma e sua fachada foi alterada para o estilo ;Art Decó;. Hoje funciona como espaço teatral, cinema, galeria e apresentações musicais.

Museu das Cavalhadas – O Museu das Cavalhadas reúne material alusivo às Cavalhadas como roupas, máscaras, fotografias e reportagens.

Museu da Família Pompeu – O museu está localizado em um casarão do século XVIII construído pelo comendador Joaquim Alves de Oliveira. No local funcionou em 1830 a sede do primeiro jornal de Goiás, A Matutina Meiapontense. O acervo é constituído por fotografias, peças, jornais e instrumentos que iluminam a história regional.

Museu Rodas do Tempo – Mostra a evolução dos meios de transporte sobre duas rodas. No acervo de cerca de 140 veículos, há desde uma réplica do celífero (bicicleta primitiva criada em 1791), a modelos clássicos da Harley-Davidson e motos de corrida.

Museu Lavras do Ouro – O Museu das Lavras de Ouro é uma reserva que fica a cerca de 3 Km da cidade. Com um pequeno museu de peças utilizadas pelo garimpo da época e uma trilha dentro da mata ciliar do Rio das Almas, abriga uma vasta galeria composta por muros de pedra, usados para a lavagem do ouro.

20161020_canto2016_0055 20161020_canto2016_0052 20161020_canto2016_0048 20161020_canto2016_0047 20161020_canto2016_0046


Compartilhe!